quarta-feira, 29 de abril de 2009

Tudo valeu a pena, quando reconhecem o nosso esforço.

"Os mais fortes não são aqueles que estão sempre de pé, são aqueles que se fartam de cair e levantam-se sempre. Vocês são os mais fortes."

domingo, 26 de abril de 2009

não há coicidências



Amei-te de forma desajeitada, arrebatadora e incondicional, sempre querendo e desejando o melhor para ti. O melhor, só tu mesmo poderás encontrar e hoje estou certa que não passa por mim. Não é a dor da rejeição que me massacra, é a dor de saber que nada poderá sobrar deste amor. Que a amizade não tem espaço nem voz entre duas pessoas que desconfiam uma da outra com a facilidade de um inquisidor contratado a soldo.

Cada vez mais acredito que amar é dar e tudo o que não é dado, perde-se. E que a amizade é talvez a mais bela forma de amor, porque é gratuita e intemporal, não precisa de promessas nem de carne, não se desfaz com zangas nem se desvirtua com o tempo. Mas não te posso dar o meu carinho, o meu afecto, o meu amor domesticado em amizade, se nem sequer tens a grandeza de abrir os braços para a receber. As mulheres demoram algum tempo a transformar um sentimento em pensamento, tanto mais quanto este é profundo, e no sossego da minha casa, onde só comunico com o mundo exterior o suficiente para me manter viva, guardo intacto tudo o que sinto por ti. Fechada para o mundo e para os outros, sinto-me cada vez mais só, mergulhada numa escuridão voluntária e estéril que me aplaca a vontade e os sentidos. Com a morte deste amor por ti, morre também uma parte de mim, algo cujos contornos não consigo ainda delinear mas que com o tempo perceberei, quando a alma apaziguada fechar as feridas desta minha dor derrotada e passiva perante o teu silêncio e a tua mascarada indiferença.


Mas é melhor que nunca mais se cruzem os nossos olhares, é melhor que a palavra adeus seja mesmo essa e não outra. Chegámos ao fim do caminho. A partir daqui todas as palavras serão inutéis. Nunca saberei até que ponto ages com o coração ou apenas com a cabeça. Até que ponto te entregas ou apenas jogas. Até que ponto sentes e ages, ou apenas observas. E é por nunca ter sabido quem és, que um dia te conseguirei esquecer.
Sempre disse que as diferenças iriam servir mais para nos unir do que para nos afastar. Mas agora sei que não. Ao contrário de ti, não sou nem nunca serei, espectadora da minha própria vida.


 Margarida Rebelo Pinto

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Sabes?


quinta-feira, 9 de abril de 2009

Rir & Chorar *

Na vida há três tipos de pessoas:

As que choram;
As que riem;
E as que não sabem, se choram ou se riem.



Eu devo fazer parte do grupo de pessoas - que não sabem se choram, ou se riem - não sei lidar com as emoções. Choro e riu ao mesmo tempo, como se o meu "eu" se dividi-se e forma-se duas pessoas diferentes no mesmo momento. Sinto que na parte esquerda do meu peito, os sentimentos encontram-se aos socos uns com os outros, a disputar o lugar de quem fica por cima. Não consigo virar a página. Não tenho despensa para guardar tantas incertezas. Não sei o que fazer com o amor.

imagem: Katarina Sokolova

terça-feira, 7 de abril de 2009

Senta-te e vai para onde ele te levar *


“(...) E quando à tua frente se abrirem muitas estradas e não souberes a que hás-de escolher, não metas por uma ao acaso, senta-te e espera. Respira com a mesma profundidade confiante com que respiraste no dia em que vieste ao mundo, e sem deixares que nada te distraia, espera a volta a esperar. Fica quieta, em silêncio, e ouve o teu coração. Quando ele te falar, levanta-te, e vai para onde ele te levar - Susanna Tamaro


segunda-feira, 6 de abril de 2009

P.S

"Se há pessoa que eu sinto falta és tu. Sinto falta do teu carinho, do teu olhar para mim, do teu abraço tão ternurenta, tão teu. Se há coisa que sinto falta, é dos nossos longos passeios pela Baixa onde partilhávamos problemas, confessávamos os nossos segredos mais íntimos. Sinto falta da maneira como me fazias sentir Carolina. Das coisas lindas e sinceras que dizes, da tua ingenuidade característica. Sei que muitas amizades se perdem com o tempo, mas se há amizade que eu quero preservar, é a tua. Acompanha-me sempre assim, e vais ver que tudo corre bem. A ti digo com sinceridade, que te amo. "
(de Susana Gouveia)
A resposta que nunca te cheguei a mandar:
Sabes Susana, não tive muita sorte nesta coisa a que se chama Amizade. Acho que tudo um dia se perde, porque as experiências da vida assim me moldaram. No entanto, é tão bom e - faz tão bem a alma - acreditar que tudo dura para sempre. É bom saber que ainda existe em nós mesmas, um pingo de ingenuidade que nunca se perdeu, desde a infância. A ingenuidade que habita em nós, e que se vai perdendo com o amadurecimento e as experiências da vida.
Eu acredito em ti, e neste nosso mundo que nos refugiamos às vezes. Acredito em nós, porque há uma força interior que me faz acreditar que nunca nos vamos separar. Vai haver momentos de dependencia, em que vamos recorrer uma à outra. Mesmo que algo nos venha a distanciar, ambas sabemos, que vamos estar sempre lá.

domingo, 5 de abril de 2009

Pensamento de hoje:


vou deixar em cima da mesa: as chaves. os desabafos. os livros. as incertezas. as histórias mal acabadas.
vou mandar-me de cabeça às coisas boas da vida.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

momento

Quando menos esperamos, a vida agarra-nos.
Abraça-nos,
e sufoca-nos de bons momentos.
Embala-nos ao sabor da mais sincera felicidade.



(Felix Baumsteiger)
No entanto,
não podemos esquecer momentos, substituindo-os por outros.
Cada momento tem o seu tempo,
e o seu lugar - no coração.